Biografia

Antigo aluno da escola portuguesa de Ixelles, na Rue du Nid, Pedro Rupio tem 36 anos e trabalha no departamento de comunicação de uma instituição financeira. Graduado em Marketing Management, é também bacharelato em Ciência Política pela Université Saint-Louis, de Bruxelas, e Mestre em Ciência Política pela Université Libre de Bruxelles com um trabalho de fim de estudos intitulado “Quel est l’impact de la structure des opportunités politiques sur la participation électorale des Portugais de Belgique aux élections communales ?.

Entre 2006 e 2017, integrou por várias vezes a direção e a mesa da assembleia geral da Associação dos Portugueses Emigrados na Bélgica (APEB). Pedro Rupio presidiu esta associação de 2014 a 2015, período durante o qual foram lançadas algumas iniciativas entre as quais: aulas de neerlandês e de informática, colaboração com a Coordenação Pedagógica da Embaixada em vários projetos (exposições, teatro), intercâmbio com associações portuguesas de França e Suíça ou ainda com a Embaixada de São Tomé e Príncipe em Bruxelas.

Em 2008, com 24 anos de idade, foi eleito Conselheiro das Comunidades Portuguesas, tendo sido eleito Vice-Presidente da Comissão do Associativismo e Comunicação Social para essa legislatura.

Enquanto Conselheiro, foi responsável por várias campanhas de promoção ao ensino de português, nomeadamente na RTP Internacional, e de incentivo à participação cívica da comunidade, tanto em eleições portuguesas como belgas. Organizou debates com candidatos e/ou deputados para promover as eleições legislativas portuguesas e europeias. Também organizou um evento que tinha como objetivo a promoção dos jovens talentos luso-descendentes da comunidade : a “Festa da Juventude”.

Nos anos letivos 2010-2011 e 2011-2012, mobilizou a comunidade com o objetivo de denunciar a irregularidade de alguns horários no ensino de português na Bélgica. Foram respetivamente recolhidas 800 e 1000 assinaturas e os alunos que se encontravam em Bruxelas tiveram direito a horários dignos. Destaca-se igualmente o contributo de Pedro Rupio na criação da Federação das Associações Portuguesas na Bélgica.

Desempenhou, entre 2012 e 2018, os cargos de Conselheiro Municipal na Comuna de Saint-Gilles e Conselheiro de Polícia na zona Midi, tendo sido o primeiro português eleito em Bruxelas para essas funções.

Em 2015, foi novamente eleito para o Conselho das Comunidades Portuguesas. É membro do Conselho Permanente e foi eleito Presidente do Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na Europa em 2020, primeiro luso-descendente eleito para tal cargo.

Em 2018, foi designado membro do Conselho Económico e Social pelo Conselho das Comunidades Portuguesas.